ARLA/CLUSTER: Re: Analogico versus digital

Jo„o Costa > CT1FBF ct1fbf gmail.com
Domingo, 18 de Dezembro de 2016 - 23:28:47 WET


Excelente e excepcional artigo Carlos.

Jo√£o Costa (CT1FBF)

Em 18/12/2016 16:12, "Carlos Mourato" <radiofarol  gmail.com> escreveu:

> Boa tarde a todos os ilustres colegas
> Muito se tem dito e comentado sobre a cobertura por sinais digitais em
> relação ao analógico. Na maioria dos casos, a opinião é de que a cobertura
> de uma determinada area, é feita com sinais digitais, utilizando menos
> potencia do que em sinais analogicos. Outras opini√Ķes √© de que para a mesma
> pot√™ncia o sinal digital tem maior cobertura. Outras opini√Ķes ainda √© de
> que a qualidade da transmissão é muito superior em digital do que em
> analógico.
> Ora importa colocar algumas quest√Ķes sobre o que ser√£o mitos e realidades.
> Logo de inicio temos pessoas que cultivam um certo clubismo por ambos os
>  sistemas e formam um opini√£o n√£o baseada em factos reais, tecnicamente
> comprov√°veis, mas sim em gostos pessoais. Por outro lado importa determinar
> o que é a "qualidade" de uma transmissão.  Uma transmissão tem a qualidade
> adequada quando cumprir a sua miss√£o, ou seja quando for possivel entregar
> à primeira tentativa a mensagem! Se tem mais ruido de fundo ou menos ruido
> de fundo, e se isso n√£o interferir com o envio da mensagem, ent√£o
> considera-se que a efic√°cia foi a 100% e como tal, a qualidade tambem
> atingiu os 100%. Deve ser este o critério a determinar a cobertura de uma
> determinada area.
> Se bem que o ruido de fundo numa emissão analógica aumenta na medida em
> que a intensidade do sinal diminui, tambem é certo que a interferência do
> ruido no conteudo da mensagem é relativo, e só se torna prejudicial, quando
> atinge um nivel em que a mensagem n√£o pode ser recebida, ou seja em que a
> relação sinal ruido (SNR) se torna proxima de zero. Na prática, uma SNR de
> 6dB já permite receber um sinal analógico sem dificuldades, assegurando
> desta forma uma efic√°cia de 100%.
> J√° nas emiss√Ķes digitais n√£o temos uma medida baseada no SNR,(
> relativamente ao audio)  j√° que este valor ser√° constante, mas sim no BER
> (Bit Error Rate). Até uma determinada intensidade de campo, o BER mantem-se
> est√°vel e com pouca percentagem de erros. Atende-se que uma transmiss√£o de
> telefonia digital, tolera sem problema um BER de 5%, alem disso começam
> sérios problemas de descodificação da mensagem. A capacidade de robustez de
> uma determinada transmiss√£o depende principalmente do valor da transmiss√£o
> em Kbps. Quanto mais elevado for este valor, melhor ser√° a qualidade de
> audio, mas menor o robustez do sinal. Nas radiocomunica√ß√Ķes, em que a
> qualidade do audio não é a mais importante, mas sim a robutez da
> transmiss√£o, utilizam-se baixas taxas de transmiss√£o, para manter um
> equilibrio entre a robustez e a qualidade.
> Tendo estado neste dias a fazer uns trabalhos (comerciais) com
> equipamentos digitais, e anal√≥gicos, aproveitei as experiencias e medi√ß√Ķes
> efectuadas para desmistificar alguns mitos e comprovar algumas realidades.
>
> 1. √Č um mito que um equipamento digital com uma determinada pot√™ncia cobre
> uma area maior, do que um igual em modo analógico. Pelo contrário, em modo
> analógico a mensagem é perfeitamente recebida, onde o digital já não
> descodifica adequadamente.
> Com os equipamentos testados, um nivel de -122dBm (nivel de abrtura do
> SQL) dava uma relação sinal ruido de 8 dbs, com uma compreensibilidade
> absoluta.
> A este nivel em digital, 4FSK, (DMR) o BER era superior a 20%, o que
> embrulhava a modulação, tornava-a dificil de entender e com muitos dropouts.
> 2. A qualidade do audio é superior em digital do que em analógico.
> Dependendo do serviço e da taxa de transmissão pode ou não ser um mito.
> Para taxas de varias dezenas de Kbps, é verdade que o som digital
> ultrapassa a do som analógico, mas a robustez da transmissão é grandemente
> degradada e o alcance em condi√ß√Ķes aceit√°veis diminui dr√°sticamente. No
> caso das radiocomunica√ß√Ķes, como por exemplo em D-STAR ou DMR ¬īsom
> analógico é de longe de melhor qualidade. Aqui o que acontece (e como tal
> aproveitado como definição de melhor qualidade) é que o som digital mantem
> uma qualidade constante e isenta de ruido de fundo (excepto o ruido de
> fundo captado pelo microfone) até uma determinada intensidade, caindo
> bruscamente para a degradação total assim que o sinal entra num valor
> critico. A esta situação junta-se um outro problema que é comum em todos os
> sistemas digitais, e que se prende com a sincronização do sinal e o delay
> de descodificação. Quando estamos numa zona de sinal marginal, isto é:
> Quando estamos no limite minimo da intensidade de campo e em movimento o
> sinal tem uma flutuação natural, de acordo com a posição. Esta variação faz
> com que o descodificador perca a sincronização constantemente, e desta
> forma nunca reproduz o audio adequadamente.Já o analógico, vê a relação
> sinal ruido diminuir na medida que que tambem o sinal diminui, mas sem que
> hajam cortes bruscos na compreensibilidade da mensagem. O que acontece no
> sinal analógico é que a variação se processa apenas na variação do ruido de
> fundo mantendo a integridade do audio, desde que este n√£o seja
> completamente "mascarado" pelo ruido.
> 3. O sinal digital preserva mais o espectro do que o analógico.
> Certissimo, utilizando a mesma largura de banda numa determinada
> transmissão, o sinal digital consegue enviar bastante mais informação do
> que o analógico, inclusive serviços diferentes, como sejam a transmissão em
> simult√Ęneo de voz e dados.
>
>
>  Resumindo e concluindo:
> Sistema digital - Desvantagens:
>
> 1. Para a mesma pot√™ncia, as mesmas condi√ß√Ķes de antena e localiza√ß√£o, um
> sinal digital tem menos cobertura eficaz do que um sinal analógico
>
> 2. A qualidade do audio digital, para a mesma largura de banda, é pior que
> o analógico, inclusive algumas frequências do espectro de audio não são
> descodificadas convenientemente.
>
> 3. A robustez de uma transmissão digital é menor do que a transmissão
> analógica, diminui na medida em que a taxa de transmissão aumenta para
> assegurar um audio conveniente.
>
> 4. A configuração dos equipamentos é muito mais complexa do que os
> sistemas analógicos, os problemas são mais dificeis de detectar (por
> exemplo uma interferência num sistema digital não se "escuta") e requerem
> instrumentação dedicada.
>
> 5. Delay entre o momento de recepção do sinal e a reprodução do audio.
>
>
> Sistema digital -  vantagens:
>
> 1. Eficiência espectral muito maior,
>
> 2. Possibilidades de transmissão de varios serviços diferentes ao mesmo
> tempo
>
> 3. Ausencia de ruido de fundo dentro de uma zona de robustez de sinal
>
> 4. possibilidades de encaminhamento de comunica√ß√Ķes, uitiliza√ß√£o
> multiplexada de servi√ßos, e um sem numero de opera√ß√Ķes que s√£o impossiveis
> de fazer nos sistemas analógicos.
>
> 5. Menos consumo energético médio e menos aquecimento dos equipamentos
>
> 6. Possibilidade de utilizar os sistemas em rede, na mesma frequência com
> varias comunica√ß√Ķes simult√Ęneas, ou atrav√©s de um unico repetidor,
> utilizando multiplexagem.
>
> 7. Possibilidade de seleccionar utilizadores e de controlar acessos ao
> sistema.
>
>
> Já os sistemas analógicos apresentam as seguintes desvantagens:
>
> 1. Pouca eficiência espectral quando comparado com o mesmo serviço em
> digital
>
> 2. Possibilidades muito limitadas de transmiss√£o simult√Ęnea de varios
> serviços.
>
> 3. Ruido de fundo que aumenta na proporção inversa da intensidade do sinal
> recebido
>
> 4. Consumo relativamente elevado em relação ao equipamento digital com as
> mesmas caracteristicas.
>
> 5. Impossibilidade de utilizar alguns serviços, só transmissiveis com
> formas de modulação compexas, baseada em IQ.
>
>
> Vantagens do sistema analógico:
>
>
> 1. Maior alcance com eficácia em relação a um sistema digital , para as
> mesmas condi√ß√Ķes
>
> 2. Radios simples de configurar e de operar.
>
> 3. Transmissão robusta da mensagem, mesmo na presença de interferências ou
> fadding
>
> 4. Possibilidade de detectar auditivamente uma interferência no sistema
>
> 6. Melhor qualidade geral do audio
>
> 7. Utilização de sistemas repetidores muito simples de instalar e afinar.
>
> 8. Sistemas com detecção de avarias e interferências muito faceis de
> detectar.
>
> 9. Ausência de delays.
>
> Claro que fica ao critério de cada um o juizo pessoal acerca dos sistemas.
> N√£o estou a defender nem um nem outro. Expresso aqui a minha opini√£o
> pessoal, baseada nos factos por mim observados.
>
>
> Boas festas a todos
>
> C.Mourato
>
>
>
>
>
>
>
>
>
> Cumprimentos:  Carlos Mourato
> Sines - Portugal
>
> Best regards from:  Carlos Mourato
> Sines - Portugal
>
> Op. CT4RK
>
>
> *Visite o meu canal Youtube em:*
> http://www.youtube.com/user/CT4RK?feature=guide
>
> *Visit my youtube channel at:*
> http://www.youtube.com/user/CT4RK?feature=guide
>
> Aos meus e-mails n√£o se aplica o acordo ortogr√°fico.
>
> --
> --
> Para mais informa√ß√Ķes/op√ß√Ķes visite o site, e edite a sua conta:
> http://groups.google.com/group/ct-comunicacoes-e-
> tecnologias?hl=en?hl=pt-PT
>
> ---
> Recebeu esta mensagem porque subscreveu ao grupo "CT-Comunica√ß√Ķes e
> Tecnologias" do Grupos do Google.
> Para anular a subscrição deste grupo e parar de receber emails do mesmo,
> envie um email para ct-comunicacoes-e-tecnologias+
> unsubscribe  googlegroups.com.
> Para mais op√ß√Ķes, visite https://groups.google.com/d/optout.
>
-------------- průxima parte ----------
Um anexo em HTML foi limpo...
URL: http://radio-amador.net/pipermail/cluster/attachments/20161218/b2b12461/attachment.htm


Mais informaÁűes acerca da lista CLUSTER